A vida é isso?

Viver é fazer mal à saúde,
é o ciclo constante de arrepender-se
e se encontrar para logo após perder-se
e acordar sem saber por quê
e levantar sem ter pra que
e fingir que sabe o que fazer
mas só fingir, sem saber.
É enrijecer a pele após o machucado
pra machucá-la de novo mesmo assim
e eis que quando tudo chegue ao fim
e porventura a morte nos alcance
possamos dizer do tempo retirante:
Não sabia antes; tampouco sei agora.
Às vezes estou certo,
tantas outras me confundo.
Encerro em mim todos os sentimentos do mundo.

3 comentários

  1. Larissa F. · maio 6, 2015

    Que lindo! Certamente um dos melhores que você já escreveu. Não é duvidando da sua capacidade – jamais! – mas fiquei surpresa ao terminar de ler e não ver o nome de algum escritor conhecido ao final. Talvez pelo “todos os sentimentos do mundo” tenha me lembrado Drummond.

  2. Carol · maio 24, 2015

    Tenho um print desse poema no meu celular e vira e mexe lá estou eu a contempla-lo. Já perdi as contas de pra quantas pessoas encaminhei tal print. Como dito no comentário anterior, é com certeza uma das melhores coisas que você ja escreveu, Almeida.

  3. Pingback: O Culpado | Estábulo.

Deixe uma resposta para Larissa F. Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s