Quotes de mim mesmo

Você nunca foi, nem nunca é, mas sempre será minha. Não no tempo frio e sem beleza do relógio, que bate mecanicamente indicando tua ausência, mas no futuro próximo e inalcançável da minha autodestrutiva mente, na qual todas as coisas por vir me impedem de prestar atenção no que não veio e no que não está. (– 19/05/2013)

****

Eu vivo vendo teu rosto em outros rostos. Já pensei que fosse eu te procurando em todo mundo e te encontrando em alguns, mas percebi que sou só eu querendo muito que seja você, e me dando o direito de, por poucos segundos, acreditar que é.

Sigo na tua busca. Aparece aí qualquer dia. (- 02/06/2013)

****

Te ver me gerava uma descarga tão intensa de epinefrina que diversas vezes eu o quis e a gente não se esbarrava. Sempre andando atento pelas ruas, ansiando por captar o menor sinal de você. Às vezes, olhando de longe, um sorriso parecido me enganava, ou um cabelo ao vento me iludia. Eu queria te ver e era por isso que não via. Esse é o barato do acaso, ele não se desmarca, nem se atrasa, nem se esquece. Ele só acontece e é verdadeiro, sem teatro, ali no improviso. A gente não pode querer, se não ele não rola. As coisas mudam de lugar só para nós não chegarmos a lugar nenhum. A questão é que tantas vezes eu quis te ver – e caramba, foram tantas! – só para te ter de volta, mas agora eu não quero te ver para não termos nada. Eu mudei, você já tinha mudado. Aquele abraço ainda significa muito, por algum motivo, mas aquele cumprimento falso e o sorriso bobo, o “e aí, como vai” e o “vou bem e você” já não enganam mais. A aura não se deixa mais misturar. Mas vai explicar isso pra acaso. (- 25/08/2013)

****

Perguntei à todas as coisas que esqueci o motivo de tu não estar com elas; me disseram que tu não cabia lá.

(– 06/05/2013)