Quase errada

É porque eu acho que você vê o nosso relacionamento de uma forma limitada, sabe, quase errada, eu diria. Digo isso ciente de que não há forma certa de amar, mas que também há formas claramente menos certas, quase erradas. Talvez você tenha presenciado diversos relacionamentos que simplesmente não deram certo e acabou desenvolvendo a arrogância de achar que é autossuficiente demais para, numa sociedade em que os padrões sociais ostentam um amor idealizado, achar que pode seguir sozinha. Schopenhauer dizia algo como “na parte monogâmica do mundo, relacionar-se significa dividir seus direitos ao meio e dobrar seus deveres”, e eu acho que deve ser muito parecido com isso que você pensa, ainda que nunca tenha se dado ao trabalho de colocar isso em palavras. Ele não é chamado de autor do pessimismo à toa, sabe? Tu vês mais o lado ruim dos relacionamentos e ignora completamente a parte principal deles: o conforto. É isso, é isso! Eu não quero ser o cara que pede satisfação ou que estraga suas noites, longe disso!, eu quero ser o cara que te remete à ideia de segurança, à noção de, nesse mundo imprevisível e impessoal, ter alguém que promete – com toda a sinceridade do mundo – que vai estar ali pra você, pra te emprestar o casaco se sentir frio, pra puxar papo num domingo vazio, ou só pra tentar com toda a cumplicidade possível ser uma pessoa presente na sua vida. Eu não quero ser o cara que você vê nos filmes, pois costumo me ocupar tentando prover um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida. Hoje tu tens tua família, teus pais, teus amigos, mas todas essas pessoas vão, um a um, desaparecendo, tu sabes. Eu sempre quis que meus relacionamentos fossem um consolo, uma mentira que ambos sabemos ser mentira mas mesmo assim nos permitimos acreditar, uma mentira que diz que estaremos lá um pro outro pra sempre, e acredito com plena e absoluta certeza que foi essa mentira que fez todos eles serem de uma intensidade inefável. Não peço que sejas recíproca, ou que pense igual à mim, nada disso. Minhas convicções são apenas minhas, e o que eu quero ser pra você não se relaciona em nada com o que eu quero que você seja pra mim, até por que eu não quero que tu seja quase nada além do que já é. Mas se preferes ver nosso relacionamento mantendo o ideal de que vais ser sempre sozinha consigo mesma e eventuais agregados, acho que não podemos continuar juntos, por que a cada vez que eu disser que te amarei pra sempre, tu me lembrarás de que aquilo não passa de blefe, loucura momentânea, mentira. E disso eu já sei; o amor eterno é uma mentira – mas a mulher que amo deve ser a última a me lembrar disso.

4 comentários em “Quase errada

  1. Poxa Almeidoca, te acompanho desde seu momento colírio da capricho e nunca antes li um texto tão bonito vindo de ti. Parabéns. Você se superou.

Deixe uma resposta para Larissa F Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s