um adendo acerca da preguiça

Tracei uma meta pra mim mesmo: parar de ter preguiça de filmes preto e branco. Eu sei, é uma preguiça rasa. Os filmes não deixam de ser interessantes por serem sem cores, e a ideia, o mindfuck, é bom de qualquer forma. Eu entendo tudo isso.

Mas tenho preguiça do mesmo jeito! Vai entender essa tal de preguiça.

Certo dia, sob o efeito de um raro sopro de consciência, julguei que deveria começar a vencer essa preguiça. Baixei, portanto, Psycho, do Hitchcock. “Comecemos pelos clássicos antes de abarcar nos insanos”, pensei.

Estou prestes a assisti-lo.

Sete meses e dois dias depois de tê-lo baixado.

[EDIT] Enquanto eu escrevia esse texto, deu preguiça. Estou assistindo, na verdade, 7 meses e 9 dias depois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s