maço

Comprou um maço de cigarros. Queria fumar um ou dois, não é fumante, sequer gosta de fumar, mas já tinha tomado uma cerveja e sentiu que aquele dia tava com cara de cigarro. Ao voltar pra casa, de noite, tateou o bolso e sentiu o maço com aqueles dois espaços faltando.

O cobrador do ônibus era desses que conversam. Falam muito, mas dizem pouco. Engatou uma conversa com o motorista e, diante daquele barulho, todo o ônibus os ouvia. “Outro dia fui tomar uma cerveja”, começou a contar enquanto abria os braços e acariciava o bigode “e não é que um cara me pediu um cigarro? Eu disse: só tenho um aqui, mas compro um maço e te dou. Ele respondeu “não precisa, não fumo um maço”. Que folgado! To oferecendo um cigarro, ele acha que estou oferecendo um maço, e ainda recusa! Acabei não comprando nada pra ele no fim das contas”.

Tateou o bolso. Lá estava ele: o maço com menos dois cigarros. Levantou, foi até o cobrador e estendeu-lhe o braço com a caixa em mãos. “Toma, é pra você. Aqui tem 18 cigarros. As próximas 18 vezes que alguém te pedir um cigarro, você vai lembrar desse maço e vai dar um a elas. A única excessão é se for o seu último cigarro, nesse caso você pode dar uma desculpa.”

Saiu do ônibus enquanto o cobrador observava intrigado. Sabia que ele podia não cumprir o acordo – podia simplesmente desembolsar um maço. Queria, no entanto, que todas as vezes que alguém pedisse um cigarro ao cobrador, ele lembrasse que havia impossibilitado 18 boas ações de um passageiro aleatório apenas pela ganância de ganhar um maço deficiente de graça.

Talvez isso o fizesse pensar em quantas vezes não colocamos interesses particulares na frente de uma boa ação que beneficia a mais pessoas. Talvez o fizesse pensar “afinal, o que é uma boa ação?”. “Neguei um cigarro, salvei células do pulmão dele!”. Ou talvez só tenha impossibilitado o sacio do desejo passageiro de 18 pessoas. Afinal, o que é a vida senão uma sucessão de desejos passageiros? Não salvara a vida de ninguém! Impossibilitara apenas uma boa ação.

Foi a forma mais interessante que achara de se livrar de um maço. Tateou os bolsos e não sentia mais nada além de curiosidade.

2 comentários em “maço

Deixe uma resposta para Hugo Oliveira Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s